No mundo da corrida se discute muito sobre o tipo de pisada, mas em relação à aterrissagem você já ouviu falar?

Olá! Hoje nós iremos comentar um pouco sobre o que é aterrissagem durante a corrida, ou seja, o primeiro contato de um dos pés ao solo.

Ao falar sobre a mecânica da corrida entende-se que a mesma se divide em duas fases, aérea e apoio. A fase aérea pode ser caracterizada como o momento em que o individuo retira os dois pés do chão, enquanto na fase de apoio faz se necessário o contato de pelo menos um dos pés junto ao soalho.

Machado (2015 apoud Harris, 2003) define que na fase aérea não ocorre nenhum tipo de contato com o solo e na fase de apoio ou suporte, somente um pé está em contato com o solo.

Durante a corrida após a fase aérea ou de vôo o instante em que um dos pés toca na superfície evidencia o início da aterrissagem, porém a mesma pode ser realizada das seguintes formas: pelo retropé, pelo médio pé ou pelo antepé.  

Assim Machado, 2015 afirma que a aterrissagem pode ter três técnicas, sendo elas: (1) retropé ou calcanhar, muito utilizada pelos corredores; (2) médio pé ou meio do pé, utilizada pelos corredores com maior domínio da técnica de correr sendo difícil de ser observada, pois, o calcanhar toca o solo quase simultaneamente com a parte da frente do pé; (3) antepé ou ponta do pé, notado em um número bem pequenos de corredores, pois, gera um esforço muito grande nos músculos da panturrilha.

Cerca de 80% dos corredores tem o primeiro contato com o solo (aterrissagem) com a porção lateral do calcanhar, entretanto alguns corredores têm uma tendência à flexão plantar durante a aterrissagem, gerando com isso o primeiro contato com a parte frontal do pé (MACHADO, 2015).

Apesar da porcentagem de corredores que realizam o primeiro contato ao chão com o calcanhar serem alta, ainda não se sabe o real motivo para esse fato. Porém sabe se que interferir na biomecânica da corrida é algo que pode trazer muitos benefícios, mas também muitos malefícios quando feito de modo impróprio. E para que ocorra a identificação de qual técnica um atleta utiliza para sua aterrissagem deve realizar uma análise biomecânica de sua corrida com profissionais capacitados, pois o movimento ocorre de forma muito rápida o que pode induzir ao erro no momento do diagnóstico.

MACHADO, A. F. MARATHON 4.0 Treinamento de corrida de rua. 1° edição, VO2PRO, São Paulo, 2015.

Professor Bruno Leonardo
CREF 046773-G/RJ

Metodologia VO2PRO

Nossos professores possuem certificação de corrida pela VO2PRO, que é uma metodologia especializada em treinamento de corrida o que torna a nossa abordagem única, possibilitando aos nossos alunos uma melhora do condicionamento físico de forma rápida, eficiente e segura.

Usamos o método exclusivo de quantificação de cargas integradas para evolução da performance de forma inteligente, eficiente e segura.

Mais informações: http://www.vo2pro.com.br/

A Importância do aquecimento antes do início do treinamento

O aquecimento é uma atividade muito indicada antes do início de um treinamento, pois possibilita ganhos como torque, potência e pode evitar lesões nas articulações e nos músculos.

O aquecimento pode ser do tipo ativo ou passivo e geral ou específico. O ativo pode ser caracterizado por movimentos com menor intensidade capazes de elevar a temperatura  do corpo, dos tecidos e resultando em benefícios nas funções fisiológicas.

O aquecimento geral ativo possibilita uma mobilidade mais enérgica do organismo de modo geral, porque no momento de sua execução ocorre a movimentação dos grandes grupos musculares. Já o específico deve ser considerado um complemento do geral, pois consiste em exercícios com objetivo de movimentar músculos que serão usados durante a prática esportiva. Podendo então enviar grande parte do sangue para os músculos que serão mais recrutados, melhorando a oxigenação e o aquecimento propriamente dito.

Para Weineck, 2003 o objetivo central do aquecimento geral ativo é obter aumento da temperatura corporal e da musculatura, bem como preparar o sistema cardiovascular e pulmonar para a atividade e para o desempenho motor.

Sendo assim nós da MP Run recomendamos que os alunos realizem sempre um aquecimento geral ativo antes do início do treino, de forma não muito intenso. E posteriormente seguir com o específico, englobando principalmente os músculos que serão utilizados no momento da execução da atividade física.

Referência bibliográfica:  Weineck J. Treinamento
Ideal. 9ª Ed. São Paulo: Manole, 2003.

Professor Bruno Leonardo
CREF 046773-G/RJ

Por que fazer avaliação física é importante?

É baseado nos resultados da avaliação que será estruturada uma planilha de treinos individualizada!

Nos dias atuais, a prática da corrida tem sido uma grande ferramenta na busca do corpo perfeito, melhora  do condicionamento,  controle do estresse e no tratamento e prevenção de doenças como hipertensão e diabetes.

Muito tem se falado, atualmente, sobre a prática correta de exercícios físicos e como eles devem ser feitos de forma segura e sem riscos à saúde. O acompanhamento médico é considerado essencial para qualquer prática esportiva, sendo ela amadora ou profissional. Para as atividades físicas ao ar livre, como a corrida, também são necessários avaliações, já que cada pessoa possui diferentes metabolismos.

De acordo com pesquisas realizadas recentemente este esporte tem crescido 20% ao ano, aumentando a demanda de produção de materiais esportivos e mão-de-obra especializada para suprir as necessidades dos corredores.

Sendo assim, nós da MP Run desenvolvemos esta avaliação com o objetivo de acompanhar nossos alunos de uma forma mais específica durante a corrida.

Este trabalho é realizado através das seguintes etapas: Anamnese, parâmetros físicos, composição corporal, avaliação postural, tipo de pisada e realização de teste de esforço submáximo de 1km.

Visando encontrar uma forma mais segura na prescrição do treinamento de corrida, utilizamos a frenqüência cardíaca para o controle da intensidade durante o treino, possibilitando uma elaboração genuína do treinamento para cada tipo de cliente ou objetivo.

Professor Gabriel Lima
CREF 045981-G/RJ

Calendário de Corridas

 

– Dia 25/11 – WTR – etapa Serra do Mar (8k, 16k, 50k solo e dupla)
Inscrições pela equipe!

– Dia 26/11 – Circuito Soul Carioca (5k) – SUPORTE COM TENDA
Inscrições em breve pela equipe!

– Dia 02/12 – 2ª Segurança Presente Run (7,5k)
Inscrições apenas pelo site:
https://www.ativo.com/calendario/todos/america-do-sul/br/rj/rio-de-janeiro/corrida-de-rua/34547/2%C2%BA-seguranca-presente-run

– Dia 03/12 – XIX Volta Internacional da Pampulha (18k)
Inscrições apenas pelo site da prova: http://www.yescom.com.br/2017/voltadapampulha

– Dia 10/12 – Circuito Rio Antigo (5k e 10k) – SUPORTE COM TENDA
Inscrições em breve pela equipe!

– Dia 31/12 – Corrida de São Silvestre (15k)
Inscrições apenas pelo site da prova: https://seguro.saosilvestre.com.br/saosilvestre/login/autenticar

Atleta em Destaque – Ana Paula Carnielo Almeida

Nome, idade e profissão:
Meu nome é Ana Paula Carnielo Almeida. Tenho 34 anos e sou Analista de Projetos e Sistemas.

Quando e como veio a decisão de fazer os 50K da XC Itaipava?
A escolha de qual seria a minha primeira Ultramaratona foi algo muito bem planejado. Junto com o meu treinador Marcio Pierri pesquisamos algumas Ultras, analisamos os seus percursos, as organizações e os depoimentos de atletas. Quando eu visualizei na internet a XCRUN Itaipava, o seu percurso lindo e desafiador, e a sua marca “Redefina os seus limites”, eu não tive dúvidas de que esta seria a minha primeira Ultramaratona.

Os treinos para esta prova se misturaram com os treinos para a Maratona?
Sim. Utilizei não só os treinos para a Maratona, como a própria Maratona do Rio de Janeiro no planejamento de treinos para a Ultramaratona. E utilizei também várias corridas em trilhas, como as etapas Ilha Grande e Sana do Circuito de Corridas de Montanhas, XTerra Mangaratiba e WTR Arraial do Cabo.

(mais…)